quinta-feira, julho 12, 2007

Editora americana rejeita nudez de desenho

Deu na Der Spiegel:

Editora americana rejeita nudez de desenho

Os desenhos realmente são inofensivos. Mas uma editora americana decidiu não publicar uma série de livros para crianças de Rotraut Susane Berner. O problema? Desenhos de seios e de um pênis de meio milímetro.

Franziska Bossy e Elke Schmitter

É raro que um livro alemão gere interesse nos EUA, e os livros infantis, em geral, ficam completamente fora do radar. Assim, o deleite foi ainda maior na editora Hildesheimer Gerstenberg quando recebeu um pedido da fornecedora de livros infantis nos EUA Boyds Mills Press, que queria uma série de Rotraut Susanne Berner.

"Foi realmente uma sensação", disse Berner ao Spiegel Online. Entretanto, algumas mudanças teriam que ser feitas antes dos livros serem lançados ao público americano. Na primeira, os fumantes tinham que ser removidos das ilustrações. Mas isso não foi tudo. Uma imagem mostra uma cena de uma galeria de arte - e, por realismo, há um cartum de um nu pendurado na parede e uma estátua minúscula, de sete milímetros, de um homem nu em um pedestal.

As crianças americanas, obviamente, jamais conseguiriam lidar com tal exposição do corpo humano. A editora americana, meio sem jeito, pediu sua remoção.

A autora, nada surpreendentemente, considerou o pedido absurdo. O mini-pinto da estátua, salienta, não tem nem meio milímetro. E a mulher nua pendurada na parede? Não chega nem a ser um retrato realista da anatomia feminina. A editora americana ficou envergonhada de pedir as mudanças, diz Berner, mas tinha ainda mais medo da reação das mães e pais americanos, se "junior" fosse exposto a tal pornografia.

Para a autora, qualquer tipo de auto-censura está fora de questão. Ela disse que poderia até ter colocado barras pretas na frente dos pontos problemáticos, mas que a "censura invisível" era impensável. "Se você vai censurar algo, então o leitor deve ter consciência disso", disse ao Spiegel Online.

A editora americana, porém, não aceitou a proposta - afinal, quem quer chamar atenção das próprias supressões. Ou seja, a Hildesheimer terá que abdicar da honra de ser publicada nos EUA - e as crianças americanas estão seguras da chocante sensibilidade alemã.

Muitas crianças no resto do mundo, entretanto, já foram expostas. Berner é uma das autoras mais vendidas em livros contemporâneos infantis. E a série, que acompanha alegremente a vida diária de crianças e adultos pelas quatro estações, já é a mais vendida em 13 países, do Japão às Ilhas Faroë. "Até agora, nenhum outro país preocupou-se com os peitinhos de desenho e mini-pênis", disse Berner.

Tradução: Deborah Weinberg - para o UOL Mídia Global.


2 comentários:

DANIEL PEARL disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cèsar Llamborda disse...

Autora global!